Click here for Myspace Layouts

28 abril 2007

Valente Tesourada



Já se esperava, talvez não tanto, mas é claro que já se esperava que a coisa fosse de nível e, meus senhores, que nível!
Se a liberdade de expressão musical existe então ela esteve ontem mais do que nenhuma outra vez aqui na nossa Lisboa, no nosso Coliseu, cheinho a abarrotar...
A abarrotar de miúdos, miúdas, gajos, gajas, bichos & bichas, tudo numa saudável comunhão como há muito se não via por cá, e digo-vos senhores, eu com os meus 37 deles e já com largas dezenas de concertos no bucho, não tenho memória.
Não tenho memória de tal festa permanente durante duas horas seguidas e a palavra certa é mesmo esta.
FESTA !!! Filthy & Gorgeous
Uma festa contagiante do primeiro ao último minuto, feita de energia, perversão, atrevimento e com a entrega típica do final de uma longa digressão europeia que tivemos a sorte de ver terminar em Portugal.
As "Irmãs Tesoura", ou Scissor Sisters, no original, nome que, para quem não sabe, deriva de uma posição sexual de amor lesbiano, chegaram, viram, venceram e convenceram toda e qualquer alma que por lá passou numa noite que é mais do que justo apelidar de memorável.
"We save the best for last", podiam, e as mais das vezes, são palavras de simpatia bacoca que os músicos que nos visitam gostam de soltar para ver a multidão saltar, mas neste caso a honestidade esteve sempre presente e isso sente-se e sendo verdade é fantástico.
É bem conhecida a fama de bom samaritano do público português ao receber os seus músicos de eleição e ali tudo estava certo, porventura não apenas por ser o último concerto da European Tour, mas porque a sua natureza assim o obriga, o colectivo de Nova York, mal entrou em palco partiu a loiça toda e mais que fosse.




Com Jake Shears e Ana Matronic aos comandos das operações, aquilo foi um despautério de falsetes e pulos e simulações sexuais e bichices, e claro, de grandes e contagiantes canções que o povo acompanhava de fio a pavio em 80% dos casos.
"She's my man", deu o mote quando a audiência já estava bem quentinha, fruto do trabalho de Warm Up do competentíssimo Dj de serviço que os acompanhou durante toda a digressão a quem eles fizeram questão de agradecer pessoalmente a meio do concerto, tal como fizeram com cada um dos membros da comitiva que os acompanhou durante o longo percurso da Tour.
Qual diva da Pop, "uma senhora", como fez questão de dizer de si sem qualquer pudor, o vocalista Jake Shears, lá foi fazendo as honras da casa, cantando em falsete, despindo e vestindo fatinhos de cetim e gravatas fininhas, casacos de plástico transparente, fatos de plumas clarinhas sem braços e slips de lantejoulas prateadas (no final), belissimamente acompanhado da maravilhosa Ana Matronic em lantejoula vermelha que também não se coibiu de fazer das suas, dando logo as boas vindas à presente comunidade "PortuGay" e Gay frendly (salvaguarde-se) e simulando felações com o seu microfone ou obrigando Shears a fazer o mesmo, exacto, a coisa foi deste nível.
Mas de muito nível foi o que mais interessa além de todo este folklore que é naturalmente, a música.
Pop, funk, soul, rock, eletrónica retro anos 80, houve de tudo para todos os gostos, tudo pautado com uma saudável dose de humor que só quem tem pode entender.
Apesar do parto difícil que foi, no seu caso, o segundo álbum, a coisa foi de uma coerência absoluta e como já toda agente sabia ao que ia ninguém ficou desiludido, antes pelo contrário.
Foi o que se pode chamar de um "concertaço", daqueles que vale a pena repetir muitas vezes e as boas noticias são as do seu regresso já a 5 de julho, para o derradeiro dia do melhor SuperBock SuperRock de sempre.
I do feel like dancing...
Lá estaremos!
Ta-Dah!!!

Pois, e assim vamos andando...!

6 comentários:

Anónimo disse...

Caro amigo Lázaro
Desculpe tratá-lo assim, mas sinto que já o conheço à muito. Devia dizer 'sentia' porque me dececionou, mas mais à fernte já lhe explico porquê. Sou sua ouvinte e admiradora desde o tempo do saudoso progama 'Eclético' da RPL. Segui sempre o seu percurso proficional, mesmo na novela da TVI, que adorei. Mas agora estou triste consigo, porque sempre o achei um homem atraente e afinal já tenho dúvidas. Então gosta das Scissor Sisters????!!!! Aquela música não vale nada e ainda por cima são de certeza homosexuais. Que desgosto me dá a falar tão bem deles. Estou a pensar deixar de ouvir o seu programa se o senhor me voltar a dececionar. Para já ainda lhe mando um beijinho mas não me volte a fazer uma dessas.

Lazpa Cllis disse...

Oh minha senhora, lamento a decepção mas nada posso fazer contra isso e se francamente deseja deixar de ouvir-me por essa ordem de razões só posso mesmo lamentar, pese embora achar no mínimo estranho que alguém com tanta abertura de espírito para apreciar algo como o saudoso "Ecléctico" possa estar tão preconceituosamente contra os SS's. Tenho pena, mas é a vida!

Anónimo disse...

Amigo,

sou visita do teu blog mas já há 2 semanas que cá não vinha. Foi uma surpresa agradável ver a tua coragem a elogiar um grupo "dos nossos", eu também fui ao concerto com o meu namorado. ainda por cima num meio homofóbico como o é o nosso país. Basta ver o comentário desta "senhora" para perceber a mentalidade desta gente. Enfim... Gostava de te conhecer pessoalmente mas tenho receio de deixar o meu contacto porque não teria paxorra para os comentários machistas e estúpidos que apareceriam. Um abraço grande e continua, querido amigo...

Lazpa Cllis disse...

Antes de mais é preciso não confundir a obra prima do mestre com a a prima do mestre de obras.
O facto de não concordar com ideias e atitudes homofóbicas não faz, nem nunca fez, de mim, aquilo que apelida de um "dos nossos".
Se se tivesse identificado realmente como meu "Amigo", conhecer-me-ia e saberia muito bem que aquilo que diz não faz o menor sentido.

Jorge disse...

Isto está bonito... Não agradas a mulheres nem a, como dizer... homens(?)...Espero que não te tornes um dos deles. Dou-te um conselho: não aceites cartas nos próximos tempos, para utilizar um expressão tua. Aguardo ansiosamente os próximos capítulos.

Anónimo disse...

Paulo,
Todos tem direito à sua opinião e para mim mais me pareces um andrógino ou se fosses de Samoa.. um fafafini dado a novelas. És incrível, depois da novela da TVI e da novela do Policia com o cão, surges agora numa novela online. Monstras que andas sempre um passo à frente de todos os outros.
Sejas um dos nossos ou um dos deles, pouco importa, sei que consegues viver bem com este tipo de duvidas e situações um pouco homofóbicas. Desejo-te o maior sucesso para esta inovadora novela musical.
Cumprimentos
Riesen